"A leitura faz ao homem completo; a conversa, ágil, e o escrever, preciso."
(Francis Bacon)
Concordo plenamente, por isso resolvi compartilhar aqui minhas leituras e algumas escritas baseadas naquilo que costumamente leio.
Sinta-se à vontade!

7 de ago de 2012

Deus, o Pai Perfeito - parte 2


4. Afeição – Quando meu filhinho chega do quintal coberto de lama, eu o apanho e o lavo com a mangueira do jardim. Rejeito a lama, não rejeito o meu filho. Sim, nós pecamos. Realmente, quebramos o coração de Deus. Contudo, ainda somos o centro da atenção e do afeto divinos – a menina-dos-olhos de Deus. É Ele quem nos procura para conceder-nos perdão e amor. Nós dizemos “Encontrei o Senhor”, mas na verdade foi Ele que, depois de intensa busca, nos encontrou primeiro. 

Os meninos, por conta do falso conceito de masculinidade, recebem pouco afeto físico da parte dos pais. É comum ouvirem: “Não chore filho; homem não chora”. Entretanto, o amor de Deus cura os ferimentos de meninos e meninas da mesma maneira. 

Moisés certa vez invocou uma benção sobre cada tribo de Israel. A uma delas ele disse: “O amado do SENHOR habitará seguro com ele; todo o dia o cobrirá; e morará entre os seus ombros.” Deuteronômio 33:12. É aí que você habita também. Seja lá o que você é ou se tornará, você jamais deixará de ser nada mais, nada menos do que uma criança nos braços de Deus. 

5. Presença – Há um atributo de Deus que nem mesmo o melhor pai pode esperar imitar – a capacidade divina de estar conosco o tempo todo. Os pais humanos simplesmente não podem dar aos filhos toda a atenção 24 horas por dia. No entanto, Deus é diferente. Ele não apenas está com você o tempo todo, mas também lhe dá atenção de forma individual: “Lançando sobre ele toda a vossa ansiedade, porque ele tem cuidado de vós.” 1 Pedro 5:7 

Deus é, e sempre será, nosso Pai verdadeiro. Procure não se ressentir das falhas dos pais terrenos, pois eles não passam de crianças que cresceram e vieram a ter crianças também. Em vez disso, deleite-se no maravilhoso amor do seu Deus e Pai. 

6. Aceitação – Vivemos numa sociedade voltada para o desempenho. Mesmo quando não passava de um bebê você já era comparado a outras criancinhas. Muitos pais passam aos filhos a mensagem do tipo: se você trouxer para casa boletins com boas notas, se você tiver boa aparência, se você..., então, sim, você será aceito e “amado”. Nosso Deus, porém, nos ama com um amor incondicional. Nosso Pai celestial nos ama porque é amor. Embora não precisemos fazer nada para convencê-lo a nos amar, devemos receber seu amor. O que Deus nos pede é que nos aproximemos dele com honestidade e sinceridade; então Ele nos perdoará e nos transformará nos filhos que Ele deseja. Deus-Pai o ama exatamente como você é. Aceite o amor de Deus e o ame também. 

7. Comunicação – Uma tarefa difícil é a comunicação aberta e amorosa, sobretudo para os pais. Talvez por isso muitas pessoas retratam Deus tal qual seus pais terrenos: um homem bom e honesto, mas quieto e tímido, que jamais diz aos filhos que os ama e raramente conversa com eles. 

No entanto, Deus comunica seu amor por nós de maneira claríssima. Na verdade, ele nos ama tanto que: “Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.” João 3:16 Deus se fez carne e habitou entre nós para nos comunicar esse amor incondicional. 

Se você acredita ter sido prejudicado em seu relacionamento com Deus por causa de uma carência, quer em uma área de amor paterno, quer materno, diga ao Senhor como você se sente e peça-lhe ajuda. Você precisa decidir por si mesmo que vai perdoar a quem o magoou, seja lá quem for. Se não perdoar, a amargura vai consumi-lo, e você não vai encontrar paz com Deus. Entenda que você não está sozinho. Não existem pessoas perfeitas... nem pais nem mãe que nunca erraram. Todos já sofreram um tipo ou outro de mágoa. O importante é que você comece a conhecer a Deus pelo que Ele realmente é. 

Somente Deus é o Pai Perfeito. Ele sempre disciplina em amor. É fiel, generoso, bondoso e justo, e almeja passar bastante tempo com você. Seu Pai celeste quer que você receba o seu amor e saiba que você é especial e singular aos olhos dEle. 

Fontes

O imensurável amor de Deus / Floyd McClung, Jr; tradução João Batista – São Paulo: Editora Vida, 2006 (Todo o texto é um resumo do capítulo 2 deste livro). 

[1] – O problema do sofrimento – C. S. Lewis; Tradução de Neyd Siqueira

Essa postagem é continuação de: Deus, o Pai Perfeito - parte 1

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe registrado o seu comentário, a sua opinião, é importante para o crescimento desse trabalho.

"O que ama a correção ama o conhecimento;"Pv 12:1a

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...