"A leitura faz ao homem completo; a conversa, ágil, e o escrever, preciso."
(Francis Bacon)
Concordo plenamente, por isso resolvi compartilhar aqui minhas leituras e algumas escritas baseadas naquilo que costumamente leio.
Sinta-se à vontade!

28 de jul de 2011

CS Lewis - A Abolição do Homem

Quero, antes de começar, esclarecer que não tenho a intenção de fazer um resumo (no sentido literário formal), mas apenas considerações sobre o que me chamou a atenção e que achei interessante durante a leitura do livro. Posso ter entendido errado alguma exposição do autor, mas tudo bem, sou aprendiz...


Há um tempo atrás li a seguinte frase de CS Lewis: "O dever do educador moderno não é o de derrubar florestas, mas o de irrigar desertos." Por eu atuar na área da educação tal frase me chamou a atenção e pus-me a refletir sobre o que seria esse deserto e esse "podar de árvores" a que o autor se referia. Adquiri o livro A Abolição do Homem, onde encontramos a referida frase, e pude melhor compreender.


CS Lewis começa o livro analisando um tal "Livro Verde" dos escritores "Gaius e Titius", mais especificamente o segundo capítulo onde os autores do referido livro citam uma "conhecida história de Coleridge na cachoeira". Ele nos leva à reflexões acerca de juízo de valor e defende a Lei Natural.

Um trecho da página 12 do livro de Lewis me chamou bastante a atenção: 

"...creio que Gaius e Titius sinceramente entenderam errado a urgente necessidade pedagógica do nosso tempo. Eles veem o mundo ao redor dominado pela propaganda emotiva - aprenderam com a tradição que a juventude é sentimental -  e concluem que a melhor coisa a fazer é fortalecer a mente dos jovens contra a emotividade. A minha própria experiência como professor me ensina justamente o contrário. Pois, para cada aluno que precisa ser resguardado de um leve excesso de sensibilidade, existem três que precisam ser despertados do sono da fria vulgaridade. O dever do educador moderno não é o de derrubar florestas, mas o de irrigar desertos. A defesa adequada contra os sentimentos falsos é inculcar os sentimentos corretos. Ao sufocar a sensibilidade dos nossos alunos, apenas conseguiremos transformá-los em presas mais fáceis para o ataque do propagandista. Pois a natureza agredida há de se vingar, e um coração duro não é proteção infalível contra um miolo mole."

Como podemos perceber, o deserto é o coração dos jovens, e o "podar de árvores" é o podar da  emotividade. O livro como um todo é um leitura cativante. Vale a pena lê-lo.

3 comentários:

Euzinha disse...

Olá... comprei este livro recentemente (e acho que chega hoje) quando terminar a sua leitura voltarei aqui para deixar mais um comentário tá...... amo a forma de escrita do CS Lewis e cada dia mais tenho me apaixonado por este grande ícone.... Muito interessante e útil seu Blog Parabéns!!

Quenia disse...

Obrigado pela visita! Volte mesmo e poste sobre o que achou da leitura! Também sou super fã de C. S. Lewis.

Mauricio Gabriel disse...

O cara é quase um profeta. Destaca tudo que acontece com uma falta de educação aos jovens e seus maleficios. Agora qual era o titulo desse tal livro verde?

Postar um comentário

Deixe registrado o seu comentário, a sua opinião, é importante para o crescimento desse trabalho.

"O que ama a correção ama o conhecimento;"Pv 12:1a

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...