"A leitura faz ao homem completo; a conversa, ágil, e o escrever, preciso."
(Francis Bacon)
Concordo plenamente, por isso resolvi compartilhar aqui minhas leituras e algumas escritas baseadas naquilo que costumamente leio.
Sinta-se à vontade!

12 de abr de 2011

A tecnologia na Educação Pública.

Estamos num mundo onde computador e seus periféricos já são tecnologias do passado. Os velhos computadores pessoais evoluíram muito de 1977 pra cá. De Pc a laptop, de laptop a netbook...Agora temos a febre do Ipad, e não para por aí. Até o Supernitendo, uma evolução para os games de sua época, deu lugar ao PlayStation, Wii e agora o Kinect, que libertou de vez os jogadores dos controles, trazendo à realidade algo só então visto no cinema.
Não podemos deixar de citar o uso da tecnologia na medicina. Já foi desenvolvido um chip que poderá ser a base para um olho biônico, a resposta para a cura de algumas formas de cegueira. Está previsto para 2013 o primeiro implante de um sistema completo em seres humanos.
Todas as áreas de atuação do ser humano foram transformadas com o uso da tecnologia. Empregos antigos deram lugar a aparelhagens, mas novas funções surgiram também, como a de programador, assistência técnica em redes, etc.

Na educação não poderia ser diferente. Há muita novidade: redes sociais, educação à distância, teleconferência, lousa interativa, animações em flash (que permitem ao aluno uma compreensão mais apurada de conceitos de biologia ou de matemática)que, junto com o PowerPoint, permite que vários alunos ao mesmo tempo use mouses USB comuns, com ou sem fio, em um único computador, tornando as apresentações mais interativas. Não posso deixar de citar também a evolução do Linux, que cresceu muito nos últimos anos, permitindo aos governos a implantação de um sistema alternativo.

Mas em meio a tanta inovação eis que surge a manchete: “Computador não influencia desempenho de aluno.”. A pesquisa mostra que o uso do computador tem efeitos muito reduzidos sobre o desempenho do aluno. Um balde de água fria? Talvez.

Qual o problema então? Quando começaram a surgir os primeiros computadores pessoais e as demais novidades tecnológicas muito se falou na possibilidade da extinção do papel do professor, que seria substituído pelo PC. Não houve a extinção, mas uma redução. Com o ensino à distância o número de professores necessários para se ministrar um curso caiu muito.
Mas voltando ao assunto, por que o computador não melhora o desempenho do aluno? A resposta eu dou baseada nas observações dos meus 7 anos como dinamizadora em escolas públicas: Metodologia, planejamento e falta de conhecimento.

A universidade não prepara o professor para lidar com as tecnologias, e mesmo quando este supera a falta de conhecimento, e parte para o uso de inovações, não muda a metodologia; o trio quadro-giz-cópia se transforma no trio Google-sites-cópia. Isso mesmo! A grande maioria dos professores levam os alunos aos laboratórios para fazer cópias! Não entenderam ainda que o grande mote do computador é a capacidade de interação e que pra isso o professor atuando como mediador é totalmente indispensável.

O problema da falta de planejamento também é grave, muitos professores levam os alunos aos laboratórios para que eles se divirtam em joguinhos nada pedagógicos enquanto os próprios descansam...
E por último, a falta de conhecimento... Como sabemos a carga horária de um professor, na maioria dos casos, é grande, não sobra tempo para cursos fora do horário de trabalho. E nem sempre é oferecida a oportunidade de cursos em seu próprio horário de trabalho. Daí junte à falta de conhecimento o medo, e então nada muda.

Já perceberam o quanto as crianças se sentem mais à vontade com as tecnologias? Já ouviu de um professor a seguinte frase: “eles sabem mais do que a gente”? Penso que deva ser por causa da falta de pudor que as crianças têm! Quando pegam um celular novo, por exemplo, mechem nele sem se preocupar em estragar, e sem aquela áurea de sabe tudo, típico dos adultos, e ‘Eureka’ aprendem num instante! Porque não aproveitar essa afinidade das crianças com a tecnologia? Eles estão muito mais preparados do que nós! Mas para que nossas crianças aprendam, e vejam que computador e internet é mais do que jogos e Orkut, é necessário alguém para os guiar, precisam de um mediador, precisam de um professor que também entenda e goste, tanto quanto eles, de tecnologia.

Há que se lembrar também que a atuação do dinamizador do laboratório pode contribuir para melhorar ou piorar a qualidade das aulas nesse ambiente. Se esse profissional é bem preparado técnica e pedagogicamente ele terá mais condições de ajudar o professor, que tem interesse, a utilizar as tecnologias de maneira mais adequada, que contribua para um melhor desempenho do aluno.

Então, se olharmos à nossa volta perceberemos o quanto estamos “no futuro”, cercados por tecnologias inovadoras, e também perceberemos o quanto a escola está aquém dessas inovações, carente de mudanças.
Deixo aqui minha sugestão: os professores da SME de Senador Canedo todo início de ano, participam de uma semana pedagógica, em que são ministrados minicursos. Porque não oferecer cursos de informática, mostrando exemplos práticos e assim estimular nossos docentes?

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe registrado o seu comentário, a sua opinião, é importante para o crescimento desse trabalho.

"O que ama a correção ama o conhecimento;"Pv 12:1a

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...